quinta-feira, 28 de abril de 2011

Enderby por fora

4 comentários
Estou lendo Enderby Por Dentro, do Anthony Burgess (autor de Laranja Mecânica). A resenha vocês podem ver assim que eu terminar no meu outro blog, o All Star e Jeans.  

Como tinha que escrever algo hoje, resolvi fazer um texto sobre o Mr. Enderby, aqui, Sr. Enderby, o Enderby Por Fora (?) que acabou ficando como o relato de algum vizinho sobre o misterioso poeta.

Enderby Por Fora
O senhor Enderby era do tipo de gente esquisita. Cabelos ralos, cada vez mais grisalhos, olhos apertados no fundo dos óculos, lábios comprimidos e semblante sério.
Parecia sempre desligado desse mundo, preocupado com coisas que só gente como ele deve ser capaz de entender. De vez em quando deixava escapar palavras soltas, sem ligação aparente. Diziam que ele era poeta. Qual nada! Devia mesmo é ser um doido varrido, isso sim. Se fosse poeta, veja lá, não moraria naquele predinho obscuro e feio e sujo, numa cidade beira-mar sem importância, mas numa bela casa na capital.
Ou até vai ver mesmo o homem era rico e doido. Só fazia ficar trancado dentro do apartamento, fazendo o quê ninguém sabe direito. Visto em bares a altas horas da noite, ainda assim não amolava ninguém. Se tinha uma coisa que o homem era é inofensivo. Mas também não gostava que o amolassem. A senhoria do prédio, que queria que o senhor Enderby pagasse mais ou desse o fora, dizem que foi deixada plantada no meio da sala e da sujeira.
O que não faltava era lenda do senhor Enderby na vizinhança. Diziam até que ele tinha quarenta e cinco anos!  O senhor Enderby! Quarenta e cinco anos com aquele velho cachimbo entre os dedos enrugados e amarelos e já tendo manias de velho maluco. Devia ter no mínimo uns 75, isso sim.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Retrospectiva Literária 2010!

3 comentários

Uhul! *-* Tou participando da Retrospectiva Literária do blog Pensamento Tangencial. Achei super legal a ideia, mesmo lendo pouco em 2010. Era pra ter postado ontem (03/01), mas passei o dia ocupada e mega cansada a noite. Enfim, um dia só é perdoado, vai! Haha
Start the show!

  • O livro infanto-juvenil que mais gostei:
    Não li muitos esse ano, os que eu li não me cativaram tanto pra entrar como o que eu mais gostei na lista, então, só restou o livro de quadrinhos do Snoopy. :P huahu Snoopy no Mundo da Lua.

  • A aventura que me tirou o fôlego:
    Anjos e Demônios - Dan Brown. Foi o segundo do ano e lembro que eu lia na aula e não conseguia nem respirar com esse livro. Excelente!
  • O terror que me deixou sem dormir:
    Li apenas um livro de terror esse ano, O Iluminado do King, mas embora seja excelente, não me deixou sem dormir não. Vai pra categoria suspense.

  • O suspense mais eletrizante:
    O Iluminado - Stephen King: Nunca tinha lido nada do mestre, mas desde que o título do livro (e do filme) me encantaram, sabia que não iria me decepcionar. Coloco ele na categoria suspense porque não achei a coisa tão feia assim. HAUHAU. Quer dizer, ninguém mutilado nem nada (graças a Deus X:).

  • O romance que me fez suspirar:
    Huum... quer dizer romance de gente bonita formando ou tentando formar casais? Não gosto muito. O único livro que se trata de um casal que eu li foi O Leitor de Bernhard Schlink. Li num tapa.

  • A saga que me conquistou:
    Não li nenhuma série esse ano. Não sou fã de vampiros nem nada. O máximo que eu li parecido e que realmente me conquistou foram os livros Mulheres Alteradas da Maitena.

  • O clássico que me marcou:
    Li alguns clássicos nacionais esse ano como O Cortiço de Aluísio Azevedo.

  • O livro que me fez refletir:
    Vários. Não Verás País Nenhum, Laranja Mecânica, Admirável Mundo Novo... Acho que todas as distopias que eu li.
  • O livro que me fez rir:
    Mulheres Alteradas (Maitena) me arrancou muitas risadas mesmo.

  • O livro que me fez chorar:
    O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini. Não tem quem não se emocione com essa história. Que adore Hassan, deteste Amir e acabe torcendo por ele no fim das contas.

  • O melhor livro de fantasia:
    Como os outros já estão nessa lista, aqui fica o Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley.

  • O livro que me decepcionou:
    Crepúsculo - Stephenie Meyer. Eu já tinha uma certa aversão ao ver tanta gente babando pelo vampiro e o lobisomem lá, mas embora o livro não seja tão ruim assim, esperava mais. Talvez a história é que não abra meu apetite.
  • O(a) personagem do ano:
    Vários deles me marcaram muito. Aliás, cada um deixou alguma coisa em mim. Lembro muito do Hassan (O Caçador de Pipas). Maaaas, meu favorito mesmo, o personagem que desde o meio do ano passou 2010 comigo foi o (meu malvado favorito) Alex DeLarge do Laranja Mecânica (Anthony Burgess).
  • O(a) autor(a) revelação:
    Só se for revelação pra mim, porque os que eu li já tão aí faz algum tempo.

  • O melhor livro nacional:
    Sem sombra de dúvidas Não Verás País Nenhum - Ignácio de Loyola Brandão. Meu Deus, que livro bom! Me marcou bastante, me fez refletir bastante também, te prende de um jeito incrível

  • O melhor livro que li em 2010:
    E o troféu vai paaaraa... Laranja Mecânica - Anthony Burgess. Esse livro realmente mexeu comigo tanto que já tavam me mandando ficar quieta de tanto falar dele. Adorei o livro, e Burgess escreve de um jeito que não tem como você não gostar do vilão da história. E eu achei isso (e a história em si) incrível.