quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Aldous Huxley e The Strokes



Depois de 4 pílulas de meio grama de soma, cá estou eu, acabando de sair da minha fuga, vos falando.
Tá, na verdade eu só acabei de acordar... É que como no Admirável Mundo Novo uso o sono como fuga também. E bem, agora eu dormi demais. Mas não vem ao caso. O fato é que, depois de dormir demais, fiquei lembrando do bendito soma, que no livro de Aldous Huxley, o Admirável Mundo Novo, são pílulas de meio grama que as pessoas "civilizadas" recebem como uma ração e a usam quando estão tristes, irritados ou qualquer sentimento do gênero pra tirarem uma sonequinha e ficarem como se nada houvesse acontecido. E melhor: sem efeitos colaterais. Então, também não tou sentindo nada, o que me faz crer que se essa droga existisse mesmo, eu a teria no sangue naturalmente. -q haha

E o que me faz vir escrever tais coisas? Única e simplesmente porque eu vim pro pc e comecei a procurar 'soma' no orkut (falta do que fazer, eu sei, o pior é que eu tenho o que fazer) e achei a música dos Strokes! Que tem várias alusões ao livro.

Eu realmente, passei mais da metade do livro sem lembrar da música! Isso porque há bastante tempo eu já não ouço Strokes tanto assim. E é, não pergunte os motivos. Então, taí a música:

Soma

Soma é o que eles tomariam quando
os tempos difíceis abrissem os seus olhos
Vissem a dor de um novo jeito
Riscos altos para poucos nomes
Correndo contra raios de sol
Perdendo contra seus sonhos
Nos seus olhos
E eu sou Pare E vá
Nos seus olhos,
Veja, eu sou Pare E vai
Nos seus olhos
Vamos lá!
Quando eu a ví pela primeira vez
Lábios se moveram enquanto ela fechava os olhos
Ouvi algo na voz dele
"E eu vou estar lá",
ele diz
Então, ele sai
De alguma forma ele estava se esforçando
demais para ser como eles
Bem, eu sou Pare E vai
nos seus olhos
E eu sou Pare
Oh, querida, deixe me ir
Experimentaram uma vez e eles gostaram
Então tentaram esconder
Ele Diz "Tenho feito isso por 25 anos"
Mas eu não estou mais ouvindo
E esses amigos, eles continuam pedindo por mais
Oh, yeah
Oh, mas é isso

Nenhum comentário: